• 20.09.2011

DAD.FBAUP

Arquivo AUNG #1

Arquivo AUNG #1 tem como referente a obra “Almada, um Nome de Guerra” (iniciada em 1969) de Ernesto de Sousa, fundindo o estudo desta com a sua própria possibilidade de reinvenção. Um primeiro momento do exercício de pesquisa que toma como metodologia o carácter de experimentação criativa e perceptiva da qual a obra própria deriva e à qual induz (obra-aberta por excelência). Apresenta-se com morfologia associada à de um atlas de imagens, neste caso constituintes de uma paisagem visual e sonora. No entanto, não é a história da obra A.U.N.G que este ‘arquivo’ pretende documentar no sentido cronológico evolutivo, mas antes a experiência do conhecimento desta através da possibilidade da sua actualização (que lhe é inerente). Esta intenção concretiza-se pela conjugação do potencial da Transferência da Palavra com o potencial da Expressividade da Palavra.

ARQUIVO AUNG #1 constituí-se por quatro corpos de trabalho: 7 cartazes (6 originais pertencentes ao Espólio Ernesto de Sousa, de diferentes autores, e um da minha autoria criado em analogia com um destes no âmbito do projecto colectivo “O Que é Urgente Mostrar”, 2009); 4 fotografias do Livro de Apontamentos “Almada, um Nome de Guerra” (fotografias de minha autoria); um conjunto de cópias de época de páginas de jornal com entrevista a E.S.; um registo sonoro de performance integrante da instalação “Re Inventar o Dia Claro”, 2009, de minha autoria). Uma legenda detalhada com a identificação de cada um deste elementos,impressa em folha de papel, acompanha a instalação da peça.
Paulo T. Silva, Set. 2011