• 02.03.2011

Joana Baptista Costa, Mariana Leão e Paulo T. Silva

Instrumento de passagens

© Joana Baptista Costa + Mariana Leão + Paulo T. Silva

Sobre o projecto do Observatório

Um instrumento de passagens existente no Observatório da Serra do Pilar esteve na origem de um projecto maior — cujo instigador, o professor Manuel Gonçalves Pereira de Barros, idealizou em 1936 e que seria concluído em 1948 — o Observatório Astronómico do Monte da Virgem. Observatório esse que viria a adquirir o seu nome a partir de 1971, data da sua morte.

Desse período de tempo, entre o projecto e a sua construção, permanecem hoje desenhos técnicos complexos e minuciosos de aparelhos astronómicos (entre eles os instrumentos de passagens), edifícios que os acolhiam (entre eles a casa do círculo meridiano), projectos para mobiliário, correspondência e publicações várias.

Estamos perante um caso cuja obra se confunde com o homem que melhor conhecemos quanto mais nos aproximamos do espólio por si deixado. Ao tomarmos aquelas histórias, trabalhando directamente no local por si desenhado, aproximamo-nos de um projecto em particular e tentamos compreender o contexto que esteve e está para além da beleza e da intemporalidade da sua construção.

Instrumento de passagens também é, hoje, o título do nosso projecto em construção. Estas palavras, sem um entendimento científico, foram para nós simbólicas e até reveladoras da nossa posição perante o conhecimento deste espólio e da sua interpretação. Descobrimos projectos marcados pelo sonho e pela vontade de os realizar, projectos marcados por alguns sucessos mas também com os seus falhanços. Interessa-nos aqui reflectir na forma como estas histórias chegam até nós, através do espólio e do relato de quem com ele conviveu, mas também nos modos de edição e organização deste arquivo que nos permitiram recolher e divulgar um projecto que é afectivo e evocativo.