• 02.03.2011

Teresa Melo

O lugar é o meu corpo

© Teresa Melo

O significado literal de lugar designa um fragmento de um certo espaço ou um ponto imaginário numa coordenada espacial, percebida pelo homem através dos sentidos.

Genericamente, o conceito define algo inerente ao Homem, porque como postulou Aristóteles, o lugar é sempre de algo ou de alguém. Para Hegel, o lugar é a união do espaço e do tempo.

Pretende-se, que o conceito de lugar, apresentado neste trabalho, seja identificado como uma entidade fenomenológica que encerra significados e formas que podem ser transformados e transformadores.

Deste modo, apropriei-me de um lugar esquecido, desabitado, destruído pelo tempo e que através de um processo criativo, reinventei uma nova vida, que deu origem a novos sentidos, novas percepções e novas abordagens.

O mesmo espaço é apresentado como se fosse um outro espaço. Contudo, há memórias que são transitórias no tempo e no espaço.

As relações intrínsecas entre arte e vida, lugar e memória, espaço e corpo, estão presentes neste trabalho, construindo deste modo um paralelismo entre a transição de um passado que permanece e afecta um presente e ficci- onalmente um futuro.

O lugar é o meu corpo, é um projecto de fotografia, que revela uma simbiose entre o que já foi e o que poderá ser, provocando e dando origem a questões que são marcadas pela eternização inscrita em memórias do lugar em questão.

Novas identidades surgem, com o objectivo de confundir o espectador, se estamos perante um passado ou um futuro, pela aparência visual dos corpos e do espaço envolvente.